quinta-feira, 26 de julho de 2007

olhos, olhares e pensamentos


Te vi, muito rápido, e mais que depressa meu olhar se perdeu entre os seus...

Pensei o dia todo porque não olhei mais

Porque não fui atrás

Esperando uma faísca de contato

Algo que pudesse me levar a você

Algo que me fizesse ver novamente seu olhar sereno

Pra poder te ver de perto

Queria era chegar e já te abraçar

Porque pra mim era como se eu te conhece a tanto tempo

Era como se você já estivesse comigo

Era como se nós já tivéssemos ficados horas e horas, dias e dias, anos e anos...

Quando encontrar você, quero antes de tudo, dormir sentindo seu cheiro, seu corpo e ao acordar, sentir suas mãos e sua boca

E ai então, te amar, como sempre pensei...

6 comentários:

Maíra Bellini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maíra Bellini disse...

Amiga adorei seu poema, muito lindo!!!
tá inspiradissima né!!! principalmente o finallllllllll.... ai que saudades!!
bjossss

Ester disse...

Mui lindo, Quel!
Vc realmente tem jeito pra poemas...
Tem alma poética!
Vc vai longe, minha filha!
Minha lenda.......
Bjos, Flor. Muitos !
Te amo, espanhola!

Agnes Amarantine disse...

Maravilhas da alma querendo sair, como borboleta eufórica se despedindo dos casulos do bem-viver.
Cada vez mais descubro nesse nosso universo bloggiano quanto gritos e risadas escancaradas podemos despejar nesse mundo tão cinzento e reprimido.
E qualquer reclamação... é só mandar tomar no meio do olho daquele lugar!
Um cheiro, espanhola!

Agnes Amarantine disse...

Ah... plagiei tua mama com o espanhola...

Marcio Panosso disse...

Ai... Isso me pegou la no fundo....
Foda né!!!